ATENÇÃO

AO CLICAR EM DOWNLOAD, PODE ACONTECER DE ABRIR UMA PÁGINA PEDINDO PARA CADASTRAR SEU CELULAR PARA LIBERAR O DOWNLOAD.

CASO ACONTEÇA, RECARREGUE A PÁGINA E CLIQUE EM "DOWNLOAD" NOVAMENTE.

NA NOVA PÁGINA QUE ABRIR É SÓ ESPERAR 5 SEGUNDOS.

Download - CD - Ira! - Clandestino (1990)

Lançado na época do infame Plano Collor, o quarto disco do Ira! deflagra um período de crise criativa reconhecida pelos próprio integrantes.

"Foi um disco burocrático, gravado por uma banda aos pedaços",

declarou Edgard Scandurra a Ricardo Alexandre sobre o que ele achava de Clandestino, em reportagem sobre a banda para a revista ShowBizz em dezembro de 1999.

A escassez de material novo, ocorrida muito por conta do primeiro disco-solo de Edgard, Amigos Invisíveis, pressionou a banda a resgatar canções compostas mesmo antes do lançamento de Mudança de Comportamento (em 1985), sendo o caso de "O Dia, A Semana, O Mês" (1984), de "Nasci em 62" (1980) e da faixa-título, escrita pelo guitarrista ainda na época do grupo Subúrbio (o "embrião" do Ira!), em 1979. Uma outra canção antiga resgatada, mas nesse caso composta posteriormente ao primeiro disco, foi "Cabeças Quentes", escrita quatro anos antes do lançamento de Clandestino.

O LP, gravado entre outubro de 1989 e fevereiro de 1990, traz como convidado especial o ator Paulo Villaça, conhecido pelo papel do protagonista do filme O Bandido da Luz Vermelha (inspirado na trajetória do delinquente João Acácio Pereira da Costa, o famoso Bandido da Luz Vermelha), de Rogério Sganzerla, que já havia servido de inspiração para o álbum anterior, Psicoacústica. Tal como no disco de 1988, o Ira! procurou explorar outros estilos musicais em Clandestino. "Melissa", pela forma de cantar de Nasi e pela presença do berimbau no arranjo, tem influências de músicas utilizadas em rodas de capoeira. "Cabeças Quentes", por sua vez, incorpora elementos de samba, que dá lugar a um som mais próximo do hard rock a partir do quarto minuto (de cinco minutos e dezoito segundos totais) de duração.

Os samplers, muito utilizados em Psicoacústica, reaparecem neste álbum. A música-título traz um trecho do último discurso do presidente chileno Salvador Allende, proferido no mesmo dia de sua morte, em 11 de setembro de 1973. Nasi extraiu esse áudio do documentário brasileiro "No", que tratava do plebiscito chileno de 1989. Na introdução de "Nasci em 62", foi embutida a famosa abertura do radiojornal "Repórter Esso".

 

Faixas

1. Melissa

2. Tarde Vazia

3. Efeito Bumerangue

4. Boneca de Cera

5. Cabeças Quentes

6. O Dia, A Semana, O Mês

7. Patroa

8. Consciência Limpa

9. Clandestino

10. Nasci em 62

 

Tamanho: 39,1 MB

Formato: ZIP / MP3

Taxa de bits: 128 Kbps

Gênero: Rock and roll

Hospedagem: FileFactory

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...